O primeiro livro que li na vida

por Robson Assis | | 8.7.10

Ontem, no Jornalirismo, encontrei uma bela crítica sobre o primeiro livro que li na vida: O gênio do crime, de João Carlos Marinho. Hoje, lendo meus feeds pela manhã, encontro no blog do Alessandro Martins uma corrente de blogueiros, para falar sobre seu primeiro livro. A corrente foi iniciada no blog da Flávia Durante e segue por aqui.

O gênio do crime é uma história simplista e ficcional, sobre o mercado negro de figurinhas da Copa do Mundo. Os personagens principais são garotos que se transformam em detetives colhendo pistas e procurando pistas, caminhos inversos.

Não foi Flaubert, Jorge Amado ou os Contos de Machado de Assis. Acho que só me apaixonei pela leitura por ter começado a ler como uma criança, para mais tarde me encantar com novas fábulas, outras idéias.

Pra gostar de literatura, pra se apegar aos livros, o que você lê precisa estar em conformidade com seu estado de espírito. Ler todos os clássicos da literatura até a quinta série tem mais poder para criar alunos desinteressados do que para ensiná-los a gostar mais de um livro do que de um programa de televisão.

Meus livros posteriores foram de uma coleção de contos infantis ilustrados de Hans Christian Andersen. Aos 11 anos, queria ler mais, sempre que ia ao mercado com meus pais ficava vendo os livros, na esperança que me comprassem um exemplar do Paulo Coelho (As capas eram demais naquela idade). E, bem, só estou contando isso porque nunca ganhei nenhum livro do mago. Talvez - deixando de lado minha opinião sobre os livros do autor - tenha sido melhor assim. Não me imagino pré-adolescente lendo histórias de ocultismo.

A edição de O Gênio do Crime era emprestada da biblioteca da escola. Lembro de ter ido na Bienal do livro de SP quando pequeno, poucos anos depois. Perguntei - melhor, pedi pra minha mãe perguntar - sobre o livro e, na época, estava esgotado.

Só pude encontrá-lo novamente anos atrás, de passagem, num sebo/banca de jornal, no Taboão da Serra, SP. Estremeci quando peguei a edição tão antiga quanto a que eu tinha lido pela primeira vez. Cena de filme. Mesmo.

***

Seguindo a corrente, convido vocês Leonardo Pollisson, Sandra Camargo, Jessica Balbino, Bruno Rico, Sérgio Vaz e Juliana Cunha que escrevam também um post sobre o primeiro livro de suas vidas.

E vocês, amigos, sintam-se à vontade também para escrever sobre seus primeiros livros! Deixem o link aqui no box de comentários. =)

4 comentários:

vato cria das ruas... disse...

não me lembro do primeiro livro que eu li mas esse que vc sitou eu tb tive o privilegio salve salve estamos sempre na sintonia....

DESVANEIOS disse...

Pra ser sincero, não saberia dizer qual foi meu primeiro livro.
Mas certamente o livro que me proporcionou uma mudança muito grande foi o Sidarta do Alemão Hermann Hesse, sem sombra de dúvidas um clássico da literatura estrangeira.

BrunoricO. disse...

Po meu parceiro, também não lembro do meu primeiro livro, mas certamente um dos que mais me marcou foi a auto-biografia de Malcolm X, e atualmente estou lendo muralhas da linguagem, um livro que fala como a linguagem é usada como forma de discriminação na nossa torpe sociedade.

Mirian Pulga disse...

Meu chegado querido, acho a leitura uma delicia ainda mais qdo vc encontra pessoas q escrevem bem e faz vc mesmo sozinho em seu quarto estar super bem acompanhado. Um dos meus achados via net foi o livro "Antes Tarde do que Sempre" de Bertoldo Contijo uma delicia .. e olha esta disponível neste site : http://www.livrosgratis.net/download/1246/antes-tarde-do-que-sempre-bertoldo-gontijo.html
vai ai a minha dica .. um beijo

Postar um comentário